Conversas sobre o futuro do jornalismo

Conversas sobre o futuro do jornalismo

O jornalista espanhol Alfonso Armada e o escritor e gestor cultural António Mega Ferreira conversam na Fundação José Saramago.

A partir de 15 de Abril, o auditório da Fundação José Saramago recebe um ciclo de debates que tem como objetivo discutir o futuro do jornalismo. Trata-se de uma parceria entre a iNova Media Lab, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, o Instituto Cervantes em Lisboa e a Fundação José Saramago que pretende promover um diálogo aberto e construtivo em torno de soluções para os desafios futuros da prática jornalística e dos meios de comunicação.

Os dois primeiros convidados do ciclo são o jornalista espanhol Alfonso Armada e o escritor e gestor cultural António Mega Ferreira. O primeiro debate deste ciclo terá lugar no dia 15 de Abril (sexta-feira), às 18h30, no Auditório da Fundação José Saramago e tem como tema: Quem fará jornalismo no futuro.

Alfonso Armada

Alfonso Armada (Vigo, 1958), jornalista formado pela Universidade Complutense de Madrid, trabalhou nos jornais El País, onde foi correspondente para a África, e no ABC, onde foi correspondente em Nova Iorque. É autor de três livros de reportagens: Cuadernos Africanos, España de sol a sol e El rumor de la frontera.

António Mega Ferreira

António Mega Ferreira (Lisboa, 1949), formado em Direito e em Comunicação Social, é autor de algumas dezenas de livros de ficção, ensaio e poesia. Fundou e dirigiu a revista Ler e colaborou como cronista para diversos meios de comunicação em Portugal. Foi comissário executivo da Expo’98 e administrador da Parque Expo, Oceanário de Lisboa e Pavilhão Atlântico.

  • Futuras atuações
  • Lisboa
  • sex, 15 de abril 2016
  • 18:30 – 20:00

Foro

Fundação José Saramago, Rua dos Bacalhoeiros 8, 1100-070 Lisboa

Entradas

Entrada livre, sujeita à lotação da sala

Mais informações

Fundação José Saramago

Créditos

Organizado por iNova Media Lab (da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa), o Instituto Cervantes de Lisboa e a Fundação José Saramago.

Ferramentas