La Trova: Amargas vides, alegres vinos em Alcobaça

La Trova: Amargas vides, alegres vinos em Alcobaça

O Coro La Trova oferece um programa musical a partir da temática do vinho e os banquetes na cultura mediterrânica no âmbito da Mostra Espanha 2019.

Na nossa cultura milenar mediterrânica o vinho e os banquetes são um marco privilegiado tanto para pensamentos sublimes como para comportamentos desinibidos. Respondendo a essa dualidade, a proposta do coro La Trova explora um variado e original programa musical que se estrutura em duas partes diferenciadas tanto pelo seu conteúdo como pelo seu tratamento: o primeiro bloco consiste em seis musicalizações diferentes de um único texto bíblico, o responsório de sexta-feira santa Vinea mea electa, ego te plantavi, ordenadas cronologicamente desde a idade média até o século XX; Palestrina, Scarlatti ou Haydn são alguns dos maestros que procuram a sua inspiração neste responsório simbólico.

A segunda parte, com obras também em sequência cronológica, contrasta vivamente com a anterior pelo seu desenfado e bom humor e oferece nuances do quanto rodeia mundanamente o vinho. Ponce, Haendel ou Schubert não dispensaram procurar a sua inspiração no imaginário báquico. Como complemento, glosa e guia do concerto, a declamação de um texto versificado em romance irá desvendando a história mitológica e histórica do vinho e a sua importância na vida humana.

Coro La Trova

Fundado em Madrid, em 1988, este grupo vocal incorpora cantores de diversas nacionalidades, interpretando música renascentista profana e religiosa de vários países europeus, bem como obras de outras épocas, incluindo a contemporânea. O grupo tem atuado em cenários espanhóis e internacionais, com destaque para a Abadia Cisterciense de Santa Maria de la Huerta (Madrid), Ubach-Palenberg (Alemanha) e Landgraaf (Holanda). Em julho de 2019 farão três concertos no âmbito do Cistermúsica, também integrados na programação Mostra Espanha 2019.

Em Alcobaça está previsto um programa original, que se estrutura em duas partes: um primeiro com Palestrina, Scarlatti ou Haydn, alguns dos maestros que procuram a sua inspiração no responsório simbólico; o segundo, que contrasta vivamente com a anterior e que recorre a Ponce, Haendel ou Schubert, que não dispensaram procurar a sua inspiração no imaginário báquico. Como complemento, está prevista a declamação de um texto que irá desvendando a história mitológica e histórica do vinho, bem como da sua importância na vida humana.

  • Música
  • Alcobaça
  • Dom, 21 de Julho 2019
  • 18:00

Foro

Museu Nacional do Vinho, Alcobaça
968-497-832

Entradas

Comprar bilhetes (Preço: 8€; preço reduzido: 6€)

Mais informações

Mostra Espanha 2019

Créditos

Organizado pelo Ministério da Cultura e Desporto de Espanha e o CisterMúsica, Festival de Música de Alcobaça

Ferramentas