Quatro paredes de água de César Barrio

Quatro paredes de água de César Barrio

Uma intervenção artistica no Lavadouro das Francesinhas representa a primeira exposição de César Barrio em Lisboa.

A relação de César Barrios com Lisboa vem desde há alguns anos por ter tido algumas temporadas de trabalho na cidade. A proposta surge de um diálogo com essa memória solidificada e intima que sobrevive neste lugar fundado em 1876, e realiza-se especificamente para o lugar. O peso histórico do Lavadouro como um espaço íntimo de interacção social, de encontro de gerações de mulheres dica valorizado com esta peça. Uma série de painéis acrílicos transparentes de grande formato, pintados, técnica específica de Barrio, são suspensos verticalmente por cima de água dos tanques. Consoante a luz que atravessa o acrílico, os reflexos na água, e os reflexos da cidade e do Tejo nas superfícies da obra, criam um jogo de imagens que envolve o espectador levando-o a sentir que habita a pintura.

César Barrio nasceu em Oviedo em 1971, é um artista que vive e trabalham em Madrid e Lisboa. Realizou a sua primera exposição em 1989. Licenciado em arquitectura pela Universidade de Navarra em 2004. Ministrou cursos e palestras como professor convidado nas escolas de Pamplona, Zaragoza e Toledo. Colabora con regularidade como artista com ateliers de arquitectura e em projectos heterogéneos com músicos, escritores, trabalhos de cenografia e de desenho de moda.

Ver folha de apresentação (PDF).

  • Artes visuais
  • Lisboa
  • Qui, 9 de Maio —
    Sex, 31 de Maio 2019

Foro

Lavadouro das Francesinhas, R. Francesinhas 12, 1200-109 Lisboa

Entradas

Entrada livre

Mais informações

César Barrio

Créditos

Com a colaboração da Seção Cultural da Embaixada de Espanha

Ferramentas