De Mãos Dadas

23 de abril: : O Dia Mundial do Livro

O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de abril. Trata-se de uma data simbólica para a literatura, já que, segundo os vários calendários, neste dia desapareceram importantes escritores como Cervantes e Shakespeare, entre outros.

A ideia da comemoração teve origem na Catalunha: a 23 de abril, dia de São Jorge, uma rosa é oferecida a quem comprar um livro. Mais recentemente, a troca de uma rosa por um livro tornou-se uma tradição em vários países do mundo.

As relações literárias entre Espanha e Portugal são e sempre foram muito intensas, exemplificadas em Emilia Pardo Bazán, Ramón Gómez de la Serna, Ortega y Gasset, Almada Negreiros, Gil Vicente, José Bento, Carmen de Burgos, Ana de Castro, e com certeza, José Saramago, de quem este ano se celebra o centenário.

Mais atual foi a celebração da Feira do Livro de Madrid em 2017 que contou com Portugal como País Convidado de Honra, e onde Pilar del Río recebeu, de mãos do Presidente da República, o Prémio Luso Espanhol de Arte e Cultura.

23 de abril: : O Dia Mundial do Livro

Dia Mundial do Livro

2 de maio: Dia Mundial do Atum

2 de maio foi assinalado pela ONU como o Dia Mundial do Atum pela sua importância alimentar e económica, e para sensibilizar sobre a importância de conservar esta espécie.

Este peixe é já um dos alimentos estrela das gastronomias espanhola e portuguesa, onde é consumido de diversas formas: fresco, cru ou enlatado. Na gastronomia portuguesa está sempre presente na ementa de qualquer restaurante, desde as pequenas tascas aos sítios mais requintados, a grelha ou encebolado. Em Espanha, está mais presente nas zonas atlântica ou mediterrânea, e destaca o atum à espanhola, com cebola, vinho e azeite, típico da Páscoa.

Comum a ambos os países é também a almadraba, uma das técnicas de captura de atum utilizadas em Itália, Marrocos, Portugal e Espanha. Esses tipos de técnicas estão inscritas no imaginário artístico de ambos os países. Em 2019, O Museu de Portimão acolheu em 2019 a exposição Luz de Mulher – Sorolla, 100 anos depois, uma iniciativa inspirada na obra Pesca do Atum do artista espanhol Joaquín Sorolla, pintada em Ayamonte, em 1919. Nesta exposição, o tema marítimo e a luz foram reinterpretados por 20 pintoras ligadas a Ayamonte.

2 de maio: Dia Mundial do Atum

Dia Mundial do Atum (Gerador)

17 de abril: Páscoa

Páscoa ou Domingo da Ressurreição é a principal celebração do ano litúrgico cristão e também a mais antiga e importante festa cristã, onde celebra-se a ressurreição de Jesus ocorrida no terceiro dia após sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento.

Em Espanha e Portugal a Páscoa, e toda a Semana Santa, celebra-se como uma festa já não só religiosa, mas também cultural e turística, onde destacam as procissões que decorrem por muitas cidades da Península, como Sevilha e Zamora, em Espanha, ou as procissões noturnas de Braga em Portugal, que nos deixam, quer seja um património material muito prezado, onde obras de escultores como Pedro de Mena, Gregório Fernández ou João da Fonseca Lapa saem dos museus para fundir-se com a tradição, quer seja um património imaterial vivo que dinamiza as nossas terras e cidades e permite contemplar uma história viva e ainda presente.

A gastronomia é também um elemento comum nestas festas entre Espanha e Portugal. A tradição de doces típicos e conventuais nos dois países é muito grande, e destacam exemplos concretos de doces similares, ainda que com nomes diferentes, como o Folar de Páscoa português e o Panquemao da zona de Murcia, em Espanha.

17 de abril: Páscoa

Páscoa

15 de abril: Dia Mundial da Arte

Hoje, pelo dia internacional da arte, queríamos falar, mais uma vez, sobre aquele património que partilhamos Espanha e Portugal. Os exemplos são inesgotáveis. Partilhamos até bens culturais declarados Património Mundial pela UNESCO, como os Sítios de arte rupestre pré-histórica do Vale do Côa e de Siega Verde.

Mas temos também muitos exemplos nas exposições dos museus dos nossos países e nos seus armazéns. CERES, o Catálogo de Coleções em Rede do Ministério de Cultura espanhol, publicou em colaboração com a Direção Geral do Patrimônio Cultural de Portugal, dois catálogos digitais: o Catálogo de Coleções Portuguesas nos Museus Espanhóis e o Catálogo de Coleções Espanholas nos Museus Portugueses. Estes catálogos foram acompanhados da publicação Diálogos Hispano-lusos onde os principais profissionais dos nossos museus analisam esta arte comum.

Deixamos aqui a publicação e os catálogos para que possam descobrir este património da vossa própria mão.

15 de abril: Dia Mundial da Arte

Dia Mundial da Arte

6 de abril: Dia Internacional do Desporto

O Dia Internacional do Desporto ao serviço do desenvolvimento e da paz, criado pela UNESCO em 2018, convida pessoas de todas as idades e de todos os horizontes a praticarem uma atividade desportiva, não só em prol de um maior bem-estar físico e mental, destacando o valor positivo para a saúde frente ao sedentarismo, mas também para consolidar uma paz duradoura baseada no respeito e no diálogo.

Em Espanha e Portugal, como em outros tantos âmbitos, temos tido, e temos, uma relação constante e excelente. Basta apenas olhar para o desporto rei dos dois países, o futebol, e analizar o passo de grandes figuras pelo país vizinho como João Felix no Atlético de Madrid ou Antonio Adán no Sporting de Portugal.

Mas não só neste grande nível mediático é que existem estas relações desportivas. A cercania dos nossos países facilita a existência de competições desportivas transfronteiriças, como à iniciativa Rede-Correr o Medievo da Rede de Vilas Medievais de Espanha e Portugal.

6 de abril: Dia Internacional do Desporto

Dia Internacional do Desporto (Gerador)

15 de março: Dia Internacional do Porco

Formando uma parte indispensável da gastronomia de ambos os países, o Porco Alentejo e o Porco Ibérico partilham o mesmo tronco genealógico. Além disso, utilizam-se para deliciosas receitas. Os porcos da raça alentejana são descendentes diretos do Javali do Sul, e são preservados historicamente em Portugal. Não apresentam nenhum tipo de cruzamento, pelo que é atualmente considerada uma das raças mais puras da península. O porco ibérico é, pelo seu lado, um grupo racial pertencente ao denominado “Tronco Ibérico”, autóctone da Península Ibérica, mas que se equipara à raça Alentejo pelas suas características raciais.

O porco alentejano e o porco ibérico são assim como irmãos, o que significa que a carne de ambos é similar, e os produtos de ambas as etnias partilham as mesmas condições ou denominações. Em 2016, um decreto governamental assimilou legalmente o porco alentejano ao ibérico. Entrou assim, com os seus direitos e também deveres, a fazer parte do padrão de qualidade para as carnes ibéricas, fiambre, paleta e cana e, por isso, passou a poder ser comercializado com rótulos próprios, formalizando a sua irmandade.

15 de março: Dia Internacional do Porco

Dia Internacional do Porco

8 de março: Dia Internacional da Mulher

8 de março é o Dia Internacional da Mulher, anteriormente conhecido como Dia da Mulher Trabalhadora. A origem dessa data remonta-se a 8 de março de 1857, quando milhares de trabalhadoras têxteis decidiram sair às ruas de Nova Iorque para protestar contra as condições miseráveis de trabalho e exigir a redução de horas e o fim do trabalho infantil. Até hoje, o dia é comemorado com grandes manifestações que acontecem em cidades ao redor do mundo, inclusive na Espanha e em Portugal.

Há muitas mulheres notáveis que contribuíram com o seu trabalho nos dois países. Por exemplo, nas últimas edições do prestigioso prêmio luso-espanhol, as vencedoras foram a jornalista e tradutora espanhola Pilar del Río, a escritora portuguesa Lídia Jorge e a fadista Mariza. Todas essas mulheres foram premiadas por uma excelente trajetória profissional no campo das artes e humanidades, tornando-se um exemplo nas suas áreas de atuação.atalogação da flora da Península e das Ilhas Baleares, das quais cerca de 22% das espécies não existem em nenhum outro lugar do mundo. 27 universidades espanholas e 7 portuguesas colaboraram neste projeto.

8 de março: Dia Internacional da Mulher

8 de março: Dia Internacional da Mulher

3 de março: Dia Internacional da Fauna e Flora

Pelo Dia Internacional da Fauna e Flora, queremos falar sobre o lince ibérico, um magnífico animal que só pode ser encontrado em dois países do mundo: Espanha e Portugal. O lince ibérico (Lynx pardinus) é uma espécie de mamífero carnívoro da família Felidae, oriundo da Península Ibérica, conhecido internacionalmente pela sua recuperação após de estar em perigo crítico de extinção no início do século XXI, e que atualmente só sobrevive em Espanha e Portugal.

Este não é o único projeto de preservação de espécies naturais comuns aos dois países. Em relação à flora, terminou em 2021 o projeto “Flora Ibérica,” após 39 anos, para a catalogação da flora da Península e das Ilhas Baleares, das quais cerca de 22% das espécies não existem em nenhum outro lugar do mundo. 27 universidades espanholas e 7 portuguesas colaboraram neste projeto.

3 de março: Dia Internacional da Fauna e Flora

Dia Internacional da Fauna e Flora

2 de março: A Quaresma

Hoje é o primeiro dia dos 40 que antecedem a Páscoa, e por tanto, o primeiro dia da Quaresma de 2022. Quaresma é a designação do período de quarenta dias que antecedem a principal celebração do cristianismo: a Páscoa, a ressurreição de Jesus Cristo, que é comemorada no domingo. Esta é uma celebração cristã presente em muitos países do mundo ocidental, entre eles Espanha e Portugal.

A Quaresma é um período especial de reflexão, jejum e oração, onde os cristãos recordam os sacramentos do batismo e da penitência em preparação para o Domingo de Páscoa. A época da Quaresma dura 40 dias para representar a quantidade de tempo que Jesus passou no deserto e para comemorar, muitos cristãos optam por fazer um sacrifício próprio ao longo desses 40 dias. É, por tanto, comum que os cristãos desistam de carne durante a Quaresma, durante todos os 40 dias ou apenas nas sextas-feiras até a Páscoa.

Por causa deste costume, surgiu uma gastronomia típica para período, que em Espanha e Portugal está protagonizada pelo bacalhau, preparado de todas as formas e maneiras possíveis. Em Portugal, temos o Bacalhau à Gomes de Sá, Bacalhau à Zé do Pipo, Bacalhau à Bras, Bacalhau com Leite de Coco e Bacalhoada Portuguesa. Em Espanha depende mais da região, mas em quase todo o país come-se o Potaje de Vigilia, típico da Sexta-feira Santa, elaborado com grão, bacalhau e espinafres. Nas diferentes regiões, podemos encontrar alternativas; no norte os bolinhos de bacalhau e batata ou, em Murcia, as almôndegas de bacalhau.

2 de março: A Quaresma

A Quaresma

25 de fevereiro: Dia Mundial do Pistácio

A origem do pistácio ainda não foi estabelecida, embora se saiba que se encontra em estado silvestre numa área muito dispersa entre a Ásia Menor, o Sudoeste Asiático e o Turquemenistão. Mesmo que atualmente o cultivo de pistácio está principalmente difundido na região do Médio Oriente e da Califórnia, a Península Ibérica está já a considerar o cultivo do pistácio uma oportunidade para a agricultura. O interesse espanhol despontou há cerca de 20 anos, idade dos pomares mais antigos, e destaca a Andaluzia, que tem um quinto das plantações, e Castela-La Mancha.

Em Portugal, considera-se desde há 5 ou 6 anos como uma grande oportunidade para a agricultura do interior. Destacam as produções de Fundão, mas também pode-se mencionar o potencial de zonas como Bragança, Vila Real, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja.

Juntas, as produções de Espanha e Portugal transformam a Península Ibérica como o maior produtor europeu desta semente.

25 de fevereiro: Dia Mundial do Pistácio

Dia Mundial do Pistácio

24 de fevereiro: O Carnaval

Nestas datas de Fevereiro celebram-se as famosas festas carnavalescas tanto em Portugal como em Espanha. Durante a celebração deste festival, humor, paródias e fantasias invadem as ruas das cidades e vilas de ambos os países, cada um com suas próprias tradições.

Em Espanha, hoje em dia, o carnaval é comemorado em muitas cidades e vilas, e as tradições são diferentes dependendo do lugar, mas, em geral, caracteriza-se por desfiles de pessoas vestidas na rua com música e uma atmosfera festiva.

Em Portugal, a celebração do carnaval está intimamente ligada às tradições que foram importadas do Brasil no século XV, época em que foram herdados elementos que ainda podemos apreciar na sua celebração, como a samba, o que é comemorado em todo o país com desfiles, música, comida e fantasias exóticas.

A origem da celebração deste evento parece estar nas festas pagãs, como as celebradas em honra de Baco, o deus romano do caos, a festa e o vinho, a Saturnália romana e a Lupercalia, ou as realizadas em honra do touro Apis no Egito.

24 de fevereiro: O Carnaval

O Carnaval

21 de fevereiro: Dia Internacional da Língua Materna

21 de Fevereiro e o Dia Internacional da Língua Materna. Por esta data queremos falar da grande projeção que a língua portuguesa e a espanhola têm no exterior.

O espanhol e o portugués constituem uma grande comunidade linguística de cerca de 850 milhões de falantes espalhados por quatro continentes, com presença especial na América, África e Europa.De acordo com estimativas demográficas das Nações Unidas, o espanhol e o português atingirão cerca de 1,2 bilhão de falantes a meados do século XXI. Juntas, as populações que falam essas línguas de origem ibérica como língua materna somam um grande número de pessoas que habitam diferentes partes do planeta. A expansão dessas línguas aumentou sua riqueza na forma de dialetos e variações.

21 de fevereiro: Dia Internacional da Língua Materna

Dia Internacional da Língua Materna

10 de fevereiro: Dia Internacional dos Legumes

Pelo dia internacional dos legumes, queríamos falar da maneira na que se preparam estes ricos alimentos tanto em Espanha como em Portugal. Em ambos países encontramos variantes do tradicional “cozido”, um delicioso prato quente.

Entre eles destaca o conhecido “cozido madrilenho,” um dos pratos mais representativos da cozinha de Madrid. O seu ingrediente principal é o grão e os secundários, mesmo que inclui também diversas verduras, carnes e tocino de porco com algum encurtido.

Em Portugal, porém, este prato prepara-se a base feijão, batata, cenoura, nabos, repolho e arroz. Entre os produtos cárnicos pode-se escolher entre a galinha e variantes do porco. Todos eles possuim um profundo sabor fumado, aroma que carateriza esta variante do prato perante a outros cozidos da península ibérica.

Acredita-se que foram os judeus sefarditas os que introduziram o uso do grão em pausado estofado na cultura culinária espanhola, embora já se pode encontrar este alimento em pratos de fogo baixo cozinhados por cartagineses e andalusíes na Península Ibérica. A Adafina medieval pode-se considerar um cozido ou um potage tal e como os que agora se realizam por toda Espanha, igual que a “olla podrida castellana,” outro dos pratos onde se rastreia a origem deste guiso. A primeira receita escrita, em Portugal, foi publicada no livro Arte da Cozinha, da autoria de Domingos Rodrigues, a meados do século XVII. Neste documento, é mencionado um prato denominado “olla podrida” – versão espanhola do “cozido à portuguesa”. Este delicioso guiso partilha-se a ambos lados da península, especialmente em inverno, com sue delicioso e variado sabor.

10 de fevereiro: Dia Internacional dos Legumes

Dia Internacional dos Legumes

26 de janeiro: Dia Internacional da Cestaria

Esta técnica artesanal, definida como a fabricação de cestos de diferentes materiais, é realizada em Espanha e Portugal desde a antiguidade, e continua a ser desenvolvida hoje em ambos os países.

Por exemplo, entre os parques naturais do Gerês e do Xurés, entre a Galiza e o Norte de Portugal, encontra-se uma das mais importantes colecções conjuntas de cestaria de toda a Península, na Porta do Parque do Xurés de Entrimo. Esta coleção inclui mais de 300 impressionantes peças. A cestaria destas regiões tem a sua origem na cultura de castros dos Celtas.

Existem muitos tipos de cestas: castanha, palha ou junco. Hoje podemos encontrar esses objetos em feiras e mercados, onde são vendidos principalmente como objetos decorativos ou lembranças, embora suas origens estejam ligadas ao trabalho agrícola e à colheita. Além disso, também eram usados para armazenar materiais de costura, ou para carregar alimentos como peixes, legumes e frutas.

O fábrico destas peças está condicionado pelo clima, uma vez que o vime, os juncos e as taboas surgem sempre nas margens dos rios, valas ou em terrenos alagados, e podem ser encontrados em toda a Península. A utilização da cestaria em Espanha e Portugal tem sido objeto de representação artística desde tempos remotos nas mais variadas produções de ambos os países. Podemos encontrar representações destes utensílios em pinturas rupestres, cerâmicas e mosaicos gregos, ilustrações medievais andaluzas e cristãs, ou em obras dos grandes mestres renascentistas e barrocos. A sua ampla representação na história da arte dá-nos uma ideia da importância, presença e antiguidade do uso da cestaria na Península Ibérica.

Hoje, a cestaria tradicional está a experimentar um enorme crescimento. As suas formas estão a ser reinterpretadas pelo mundo da moda, promovendo assim um trabalho de valorização e divulgação destas técnicas tradicionais comuns a Portugal e Espanha.

26 de janeiro: Dia Internacional da Cestaria

Dia Internacional da Cestaria

12 de janeiro: Dia Mundial do Maçapão

Este é um dos principais doces da gastronomia espanhola e portuguesa, e é composto principalmente por amêndoas, açúcar e ovos. As origens deste alimento são disputadas entre vários países, incluindo a Grécia Antiga, a Sicília ou a Pérsia. Muitos consideram que o rico doce chegou à Península Ibérica através das conquistas muçulmanas do século VIII, embora também há quem coloque a sua invenção no convento de São Clemente em Toledo, em 1212. Até hoje, esta ainda é a cidade espanhola mais conhecida pela produção de maçapão, embora seja possível encontrar variantes do doce em quase toda a península.

Em Portugal, por outro lado, o maçapão é consumido especialmente no sul do Algarve e, ao contrário de Espanha, onde é considerado uma sobremesa particularmente de natal, é consumido durante todo o ano.

Sua massa macia permite que seja moldada em todos os tipos de formas, como animais ou motivos geométricos, tornando a sobremesa não apenas uma delícia, mas também um ornamento muito agradável para decorar as mesas e receber convidados.

12 de janeiro: Dia Mundial do Maçapão

Dia Mundial do Maçapão